A movimentação turística que fortalece a indústria do Carnaval gera cerca de 200 mil empregos diretos e indiretos. (Crédito: divulgação)
EDIÇÃO com agências –

Segundo estimativa da Secretaria do Turismo do Estado, no período carnavalesco cerca de 2,1 milhões de pessoas devem visitar a Bahia, injetando R$ 2,3 bilhões na economia de setores como a rede hoteleira, bares, restaurantes e empresas de turismo.

Sol, praia, boa infraestrutura e serviços de qualidade são atributos do litoral baiano, que atrai turistas durante o Carnaval. Destinos como Praia do Forte, Ilhéus e Itacaré estão entre os mais procurados por quem deseja descansar e fugir das grandes festas.

As encantadoras praias do litoral de Ilhéus, como Olivença, proporcionam boa experiência de lazer para quem escolheu aproveitar a folga de Carnaval com o ‘pé na areia’. Além dos atrativos naturais, os culturais também são destaques na cidade retratada na obra do escritor Jorge Amado.

Neste feriadão, os turistas também devem conhecer locais como a Catedral de São Sebastião, o Bar Vesúvio e fazendas produtoras de cacau.

“Esperamos receber pelo menos 25 mil pessoas durante o Carnaval. A procura por hotéis e pousadas é grande e até a Quarta-feira de Cinzas será difícil achar vagas para reservar”, disse Marco Lessa ao explicar que casas de veraneio de amigos e parentes são requisitadas para comportar visitantes. Um dos hotéis que registra 100% de ocupação é o Jardim Atlântico Beach Resort, que recebe baianos de cidades como Vitória da Conquista e turistas de outros estados, a exemplo de São Paulo e Minas Gerais.

Já em Itacaré, são esperados 20 mil turistas, e os hotéis estão praticamente lotados, segundo o secretário municipal de Turismo, Júlio Oliveira. Dentre as atrações da festa, realizada de sábado até terça-feira (10 a 13), estão o cantor Edson Gomes e as bandas Revelação e Bandana, bem como grupos de mascarados, bailes infantis e da Melhor Idade.

Além da folia à beira-mar, os turistas que passeiam pela cidade da Costa do Cacau têm à disposição belas praias onde é possível descansar, mas também se aventurar em trilhas e surfar. Badalada, a Passarela da Vila reúne bares, restaurantes, lanchonetes e lojinhas de artesanato e suvenires, bem como empresas que oferecem passeios turísticos.

Localizada a cerca de 50 quilômetros de Salvador, Praia do Forte também registra intensa procura por meios de hospedagem. É o caso das pousadas Casa do Forte e Caminho das Estrelas, que têm ocupação máxima. A primeira atinge 100% a partir deste sábado (10), sendo 80% dos hóspedes de Salvador. A outra também recebe estrangeiros (Chile e Argentina), e brasileiros de Sergipe e do Rio Grande do Sul.

A vila praiana garante muita diversão com prazerosos banhos de mar, bons bares e restaurantes e visita as ruínas do Castelo Garcia D’Ávila (edificação histórica da época do Brasil Colônia) e o projeto Tamar, de preservação de tartarugas e outros animais marinhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here